Dicas de Estudo: 4 hábitos de estudo ruins para você

Dicas de Estudo: 4 hábitos de estudo ruins para você

Avatar
Tempo de leitura 4 minutos

Quando falamos sobre vícios e maus hábitos de estudo, provavelmente a primeira coisa que vem à mente são coisas como roer as unhas, fumar, falar mal dos outros e assim por diante. É quase impossível encontrar alguém que acrescente a esta lista algum hábito relacionado a seus estudos – o que já é parte do problema, uma vez que só é possível superar um vício à medida que somos capazes de identificá-lo e tomarmos consciência de como ele nos afeta negativamente.

Não é incomum nos “matarmos de estudar” para uma prova e, apesar de tudo, tirarmos uma nota baixa, o que inevitavelmente nos leva a odiar uma determinada matéria, perder o gosto pelos estudos e sentir uma enorme frustração e impotência. É nesses momentos que começamos a construir aquelas falsas crenças de que não somos capazes de aprender uma determinada coisa, de que não nascemos para aquilo e assim por diante.

Tudo besteira! Resultados insatisfatórios podem ser nada mais do que o reflexo da maneira como você está estudando. Então calma, porque juntos vamos superar isto para que você consiga potencializar seus esforços e aprender de verdade o conteúdo. E, claro, conseguir a nota alta que você merece!

Confira estas 4 dicas do site AboutEducation.com:

1. Estudar da Mesma Forma para Tipos Diferentes de Provas

O Problema: Uma prova de gramática do colegial, por exemplo, é completamente diferente de prestar vestibular. Se você adotar um único método de estudo para todos os tipos de exames, estará deixando passar detalhes importantes e exigências específicas de uma avaliação em particular, o que poderá lhe custar alguns pontos no final do processo. Cada tipo de prova possui algumas estratégias que você pode aprender e dominar para se sair melhor, como por onde começar, como administrar seu tempo, quanto tempo dedicar a cada questão e assim por diante. Imagine o que aconteceria se você deixasse para estudar apenas na véspera do vestibular ou de um concurso público!

A Solução: Antes de prestar qualquer exame, procure descobrir que tipo de avaliação será aplicada: questões dissertativas? Múltipla escolha? Prova prática? Teste oral?

Dependendo do tipo de prova, existem uma série de simulados disponíveis para que você possa fazer e “pegar as manhas” antes do Dia D. Seja esperto em suas escolhas para que você possa estudar de forma eficiente.

2. Ficar Falando Coisas Negativas Sobre Você Mesmo

O Problema: Sabia que, mesmo inconscientemente, acreditamos em tudo o que dizemos para nós mesmos? Ainda mais se for algo que repetimos constantemente. Preste atenção em quantas vezes você diz coisas como: “Nossa, como sou burro”, “Odeio inglês”, “Isto é impossível”, “Aprender inglês é muito difícil”, “Eu não nasci para isso”, “Nunca vou aprender a falar inglês”.

Eventualmente, após tantas repetições destes “mantras”, seu cérebro vai captar a mensagem e, com certeza, você sentirá os impactos em suas notas.

A Solução: Policie suas palavras e pensamentos. Deixe toda a negatividade de lado e substitua este diálogo interno por pensamentos positivos. Troque “Odeio inglês” por “Estudar inglês vai me ajudar a conquistar as coisas que eu quero”; “Nunca vou aprender a falar inglês” por “Vou estudar o quando for preciso para falar inglês”. Acredite se quiser, depois de algum tempo entoando seus novos “mantras”, você começará a confiar nestas mensagens positivas, da mesma forma que confiou por anos nas negativas. Só que os efeitos serão bem diferentes!

3. Estudar com Distrações

O Problema: Se toda hora você vai dar uma espiadinha no Instagram ou não consegue resistir às atualizações do Facebook enquanto deveria estar estudando, suas chances de se dar mal na prova são… certas. O objetivo principal a ser cumprido no horário de estudo é aprender a matéria de forma rápida e eficiente. Ponto final. Distrações externas, como seu telefone e a TV, podem atrapalhar tanto quanto distrações internas, como ficar pensando em alguém ou se preocupar no que fará no fim de semana.

A Solução: Encontre a forma de estudo que melhor funciona para você e não fuja desta rotina. Se você foi bem em uma prova depois que passou a estudar em um lugar sossegado ou perceber que deixar uma música calma rolando baixo ajuda a melhorar sua concentração, então repita a fórmula do sucesso!

4. Deixar para Estudar na Última Hora

O Problema: É simplesmente impossível aprender as coisas de uma hora para a outra. O verdadeiro aprendizado consiste em entender a teoria e ter a oportunidade de colocá-la em prática, até que não sobrem mais dúvidas e o conhecimento passe a ser algo natural para você. E para treinar é preciso tempo.

Repassar a matéria na noite anterior pode funcionar super bem como uma revisão, mas não como uma sessão de estudo. Caso contrário, no máximo você estará apenas decorando a matéria e, em pouco tempo, esquecerá tudo.

A Solução: Algumas semanas antes da prova, dê uma olhada na sua agenda e procure separar um tempo todos os dias para estudar. Se você dedicar ao menos 20 minutos por dia, no dia da prova você estará super preparado.

Se você ainda não tem certeza de como organizar seus estudos, não precisa se preocupar: a Open English te ajuda, criando um Plano de Estudos semanal, com as atividades, lições e aulas mais indicadas para você atingir os melhores resultados. É só você seguir nossas orientações e fazer a sua parte 😉

Comentários